Blog

6 Dicas obrigatórias antes da sua viagem pra Tailândia

  |   Ásia, Tailândia   |   No comment

Ah, Tailândia! Acho que depois de tantas viagens, dá pra dizer que esse é o nosso cantinho favorito do mundo. Gente que sempre sorri, paisagens inacreditáveis, uma comida espetacular e um santo remédio chamado Thai Massage. Tudo isso a preços módicos (se você seguir as nossas dicas) formam o nosso destino ideal.

Com a experiência de já ter pisado 4 vezes nesse solo abençoado (e também porque bateu uma saudade depois que escrevi o post sobre o tesouro escondido da Tailândia) resolvi listar essas dicas essenciais pra você aproveitar a sua viagem integralmente, sair cair nas furadas de quem vista o país pela primeira vez.

1 – Coma na rua

Deste pequeno já treinando o nariz pra coisa boa.

Essa dica é quase uma ordem. Não tenha medo de experimentar os sabores que essa culinária pode oferecer. Eu entendo a ressalva que muitos podem ter sobre comer em qualquer lugar que não seja um restaurante, principalmente quando se está viajando. Só que uma viagem pra Tailândia nunca está completa sem sentir o sabor desse país dividindo uma mesa  ao lado dos locais enquanto aprecia-se um excelente Pad Thai.

Os Tailandeses dão muito valor para as refeições e estão sempre lotando as barraquinhas de ruas a qualquer hora do dia. Mesmo nos mercados de madrugada. Além do sabor excepcional, o preço nesses locais deixa qualquer restaurante no chinelo. Um prato muito bem servido sai em média por ฿150 (ou 5 dólares) 

Tá inseguro e não sabe onde começar? Pega leve com um churrasquinho, depois parte pra um Pad Thai e daqui a pouco você já vai pedir um curry com arroz. Como dica de bebidas, eu recomendo os chás de flores. O meu favorito é o de crisântemo. O de jasmim é ótimo também.

Agora se você está esperando encontrar barata, grilo e outros insetos. Saiba que isso é balela. Se tiver 1 barraca vendendo essas coisas, os únicos clientes serão os turistas “aventureiros”. Os locais mesmo não comem essas coisas.  Não perca seu tempo.

2 – Pechinche bastante

Pode pedir desconto, principalmente quando muita gente oferece o mesmo serviço

Tudo aquilo que não tem uma etiqueta com o está aberto pra negociação. Corridas de tuk-tuk, lembrancinhas, tatuagem (se você é desses) e massagens (quando contratado mais de um serviço). Dá pra tirar uns 30% do preço inicial e até 50% se você tiver paciência. Isso também vale para os tours e passeios.

Se a negociação estiver complicada, desista e tente em outro lugar. Não é raro eles abaixarem mais o preço quando estão prestes a perder o cliente.

3 – Cuidado com o trânsito

Essa dica é mais relevante se você vai pra Bangkok. Chamar o trânsito de lá de horrível é um eufemismo. E olha que essa é a opinião de um paulistano que conviveu com o transito por muitos anos.

O problema aqui não é só a quantidade de veículos, mas as vias e os cruzamentos são muito mal organizados. Os semáforos parecem ter vários estágios, vários cruzamentos barram o fluxo. Um total caos.

A recomendação é usar o metrô sempre que possível. O Google Maps ajuda bastante a traçar os roteiros e os funcionários são bem solícitos pra tirar dúvidas.

Mas e os Tuk-Tuks?

Na cidade? Uma vez na vida pela experiência. Negocie bastante o preço e tenha certeza que o motorista não vai te levar em alguma loja de roupa antes do seu destino final. Eles ganham comissão por cliente e adoram dar uma de doido.

Aproveite pra tirar foto tipo musa do tuk-tuk.

Os Tuk-Tuks são uma boa dica em cidades menores, pra fazer um tour mais longo. Em Bangkok eles ficam presos no trânsito tanto quanto os carros, com a diferença que ainda são barulhentos.
Não abre mão do conforto? Pega um Grab (O Uber dessas bandas) os preços são baixos, os carros são bons e ainda tem ar condicionado. O preço muitas vezes é igual o de um tua tuk.

4 – Respeite

Longe de mim escrever um guia de modos e com dicas de comportamento na Tailândia, A Dayana do Lolepocket fez um bom post com esses pontos. Confere lá no detalhe.

As dicas aqui são um pouco mais específicas. Coisas que eu aprendi que os locais consideram repugnantes e desrespeitosas e mesmo tendo bom senso, você pode cair nessa cilada.

 – O Buda

Itens de decoração, camisetas e tudo aquilo que tenha alguma referência ao pai do budismo é considerado extremamente desrespeitoso. Tire fotos, aprecie, mas pense duas vezes antes de comprar um bibelô novo pra sua casa.Nos últimos anos organizações têm alertado os viajantes. Traçando um paralelo, já pensou alguém levando uma cabeça de Jesus pra colocar na estante?

– O Rei

Em vários lugares você vai ler que os Tailandeses são orgulhosos da sua monarquia e amam o rei. Isso era verdade para o antigo Rama IX, falecido em 2016. O seu filho, atual monarca, não parece ser uma unanimidade.

Mesmo assim, não dê com a língua nos dentes falando de política. Várias pessoas são processadas todos os anos pelo crime de lesa-majestade. Até mesmo se você estiver em outro país e falar mal do vestido da princesa na internet, pode ser banido e qualquer plano de viagem pra Tailândia cancelado.

– Os Tailandeses

Em geral eles são bastante gentis e sempre sorrindo. Com um pouquinho mais de experiência você vai entender que eles fogem de qualquer conflitos. Os motivos estão enraizados na cultura Tailandesa, que muito valoriza a reputação que uma pessoa sustenta perante seus colegas e a comunidade. Esse conceito tem o nome de Face, e um Tailandês está sempre ganhando e evitando perder Face.

Muitos turistas se aproveitam dessa “fraqueza” pra tirar vantagem. Faça sua parte, nunca levante a voz e seja razoável em desentendimentos. Mesmo você estando certo, um pequeno sacrifício pode ajudar a resolver a situação.

Esse conceito é muito amplo mas se você tem interesse em saber mais, fica a dica deste excelente artigo sobre Saving and Losing Face (em inglês)

 – Os Elefantes

Essa lição aprendemos desde que vimos os maltratados animais no Zoo Lujan. Sempre que um bicho é usado em uma atividade comercial, ele vai ser explorado. Com os elefantes aqui não é diferente. Principalmente os que levam passageiros nas costas e sofrem com várias complicações na coluna devido aos anos de serviço. Não contribua com essa prática cruel. Quer interagir com esses gigantes? Procure um santuário para elefantes resgatados.

5 – Experimente a Massagem Tailandesa

Massagem é coisa familia, tá pensando o que?

Todo dia. 2 vezes por dia. Com óleo. Com esfoliação. Sem nada. Com 2 massagistas ao mesmo tempo. Não deixe de experimentar esse presente dos deuses. Casas de massagens estão por todas as esquinas. Geralmente com a tabela de preços e as massagistas na porta.

Se você está indagando: Mas e não é safadeza? Fique tranquilo, dá pra notar a diferença só de olhar. Na dúvida, se o lugar está cheio de massagistas que aparentam pouca idade e pouca experiência. Há grandes chances de te oferecerem um happy ending.

6 – Não gaste muito em hotel

As palafitas low cost que ficamos em Khao Sok

Se você valoriza o seu suado dinheirinho, vai se dar muito bem na Tailândia.

Quando pesquisar onde se hospedar, não caia na besteria de fechar um pacote em agência e acabar gastando mais do que deve.

A dica é a seguinte: 10 dólares por pessoa (não estou brincando), costuma ser o suficiente para um bom quarto com banheiro privado e ar condicionado. Em Bangkok, não ligamos muito pra localização desde que haja uma estação de metro perto. Ficar nos bairros também te possibilita experimentar a vida tradicional da cidade, e até os mercados a céu aberto da região.

Aqui estão os hotéis que ficamos e que são nossa primeira opção na próxima viagem pra Tailândia.

Hotéis que recomendamos em Bangkok

Double DD House, as vezes aparece como um hostel, mas não é nada disso. São quartos privados, bem limpos e com AC. Durante o dia, no final da rua fica um mercado com várias barraquinhas de comida. Também é ao lado de uma loja de conveniências 24 horas e da estação de metrô Suthi San.

Miggy Guest House: localizado no final de uma rua residencial, bastante tranquila, essa guest house é tocada por uma família super gentil. Vários bons (e baratos) restaurantes por perto e várias casas de massagem.

Khaosan Green House Hotel: Bem centralizado, e do lado do inferninho chamado Khaosan Road. Lugar bem limpo e confortável. Ideal pra quem gosta de movimento.

Hotel que recomendamos em Ko Lanta

Lanta for Rest Boutique: um achado nessa ilha maravilhosa. Ótimo café da manhã, 2 piscinas, do ladinho da praia e de vários bons restaurantes. Ideal pra relaxar e não fazer nada.

Bonus – Nosso vídeo por Bangkok e Ayutthaya

No Comments

Post A Comment