Blog

6 coisas que você precisa saber antes de ir para Santiago

  |   América do Sul, Chile   |   No comment

Santiago é uma cidade que mora no nosso coração. Talvez por ser uma das primeiras que visitamos, ou por só trazer boas surpresas nas 6 vezes que estivemos na capital chilena. Claro, a ótima comida deliciosa somada ao um povo hospitaleiro, a cidade organizada e a uma bela paisagem com montanhas nevadas são fatores chave pra essa ótima impressão.

Contudo, Santiago possui detalhes que fogem aos olhos dos seus visitantes, principalmente os de primeira viagem. Por isso, tal como fizemos com os Hermanos de Buenos Aires. Aqui estão 6 coisas que você precisa saber antes de viajar para Santiago do Chile.

O Clima, a Luz e a… poluição.

Você já deve ter pensado “Todo mundo sabe que Santiago faz frio, inclusive tenho um amigo que foi esquiar no Chile”. Tá bom, mas não estamos aqui pra falar do óbvio.

Santiago é uma “ilha” rodeada por montanhas. Essa muralha de pedra transforma a cidade em uma grande panela que conserva parte do calor e, de maneira bastante simplificada, protege contra o clima dos andes. Resultado: pode cair uma tempestade de neve absurda nas montanhas que nada chega nas regiões mais populosas. Faz frio, mas não neva.

Outra consequência desse panelão é que a poluição não dissipa, ficando concentrada principalmente nos meses mais secos. Não se assuste se depois daquele banho relaxante, após um cansativo dia explorando Santiago você ver uma crosta de sujeira no canto da banheira. Encontrar uma catota preta quando der aquela limpada no salão é algo bastante comum também.

Por último, Santiago é uma das poucas capitais latino americanas que conseguimos ver bem a variação de luz solar durante o ano. Pra quem está acostumado a viver no brasil e ganha no máximo 1 hora a mais de sol por causa do horário de verão, vai se espantar ao perceber que às 9 da noite ainda está claro, nos meses mais quentes. Em contrapartida, 4 da tarde parece hora de dormir durante o inverno.

Protestos em Santiago

Tal como acontece na Argentina, com Buenos Aires, Santiago é o centro cultural, financeiro e político do Chile. Pensando bem, a maioria dos outros países é assim, a gente que tem a bizarra Brasília que isola os governantes do povo.

Essa estrutura parece tornar as pessoas muito mais ativas politicamente. Em todas as vezes que visitamos Santiago, presenciamos protestos. Trabalhadores, Estudantes, pró refugiados… de tudo. Então fique preparado e mude o itinerário de acordo, felizmente não vimos nenhum se tornar violento. Mas isso acontece e você não vai querer estar na mira dos Carabineiros.

Apart-hotéis e aluguel por temporada em Santiago

Os chilenos estão no business de Airbnb “before it was cool” existem milhares de apartamentos de aluguel por temporada em Santiago, empresas especializadas e até condomínios criados para servir os que procuram por hospedagem em Santiago. Já ficamos em vários deles, todos seguem o mesmo padrão. Cozinha completa, móveis novos e geralmente muito bem localizados.

Nossa primeira experiência foi no Chile-Apart que fica no centro da cidade, ao lado de um mercado e do excelente Empório La rosa. Também gostamos muito dos Airbnb do Hector, que é um excelente anfitrião e tem alguns aptos em Providência. Inclusive, clique na barra ao lado pra pegar um belo de um desconto se você ainda não conhece o serviço.

A imensa quantidade de Cachorros de Rua em Santiago

Uma parte bem triste e que sempre foi constante quando passeamos por todos os lados de Santiago. A quantidade de cachorros de rua é assustadora. Um olhar no detalhe revela algo ainda mais alarmante, são cachorros de raça. Não nasceram na rua, foram abandonados.

Conversei com vários chilenos tentando entender a causa dessa lamentável realidade e aparentemente são cachorros que ficaram “grandes demais pra viver em apartamentos”.

 

O governo tem tentando solucionar o problema tornando crime passível de prisão o abandono de animais, mas ainda estão longe de solucionar o problema e reduzir a população de mais de 1 milhão de cachorros de rua em Santiago

5) Cachay, al tiro e o Castellano Chileno.

Os chilenos têm expressões bastante curiosas que não fazem muito sentido aos que exploram Santiago pela primeira vez. Pra ajudar, eles “comem” as letras quando falam. Demora um pouco pra se acostumar com o ritmo.

Tudo bem, cada país da América Latina tem a sua versão do espanhol (com exceção dos hermanos argentinos que praticamente falam outro idioma :P). Mas aqui vai uma pequena amostra do Castellano Chileno.

Cachay: Essa tem vários significados.  Relacionados a saber ou notar algo. Como por exemplo, Tu cachay donde queda el restaurante? Ou Cacha que bela pintura. Usa-se bastante também pra confirmar se se entendeu algo, como essa explicação, cachay? e até pra se referir a sexo (Cachar).

Al tiro: Quer dizer em ponto, na hora, sem atrasos. Como em Nos vemos en 15 minutos, al tiro. A origem é curiosa, já que um canhão, que fica até hoje no Cerro Santa Lucia, disparava todos os dias ao meio dia pra anunciar a hora do almoço. “Que horas vamos a comer? Al tiro”.

A lo pobre: Usado pra explicar acompanhamento de algum prato. Tal como em São Paulo, um bife a cavalo quer dizer com ovo. Em Santiago, qualquer coisa A Lo Pobre, vem com ovos, batata frita e cebola.

6) Palta e os Restaurante típicos

Chileno ama pauta. Não, melhor, a galera aqui idolatra essa papinha de abacate. Servem junto de uma refeição, hambúrguer, sanduíche, hot-dog e até de molhinho com a batata-frita. O gosto é bem suave e por incrível que parece, não lembra em nada um guacamole. Pra não correr o risco de não gostar faça o seu pedido com “Palta a parte” ela vem em um potinho separado e você pode apreciar o quanto quiser.

Outra coisa bastante curiosa é a forma como os restaurantes típicos, aqueles que servem um PF, apresentam os pratos do dia. Nada do básico menu com fotos isso é coisa de restaurante Nutella. Em Santiago sai o menu e entra uma vitrine com o real deal. Um empilhado de pratos com comida de verdade, expostos ao tempo, que aparentemente atraem freguezes. Mas que no nosso caso fazia, o efeito foi contrário.

Agora que você é uma pessoa um pouquinho mais preparada pra visitar Santiago, aproveite pra experimentar o sabor dessa cidade passando no Fuente Alemana e marque um Free Walking tour pra conhecer ainda mais sobre a cultura dos nossos amigos Chilenos.

No Comments

Post A Comment